English Chinese (Simplified) French German Italian Japanese Spanish
fone(11) 9 5411-0065 mapa-do-site
   
Texto

Atenção, abrir em uma nova janela. PDFImprimirE-mail

HOLISMO

CARL JUNG PROPÕE PERGUNTAS QUE SE REFIRAM AO HOMEM EM SUA TOTALIDADE E QUE NÃO SE LIMITE APENAS AOS SINTOMAS.

Já estudante de medicina, decide dedicar-se à então obscura especialidade de psiquiatria, após a leitura ocasional de um livro do psiquiatra Krafft-Ebing. Em 1900, Jung tornou-se interno na Clínica Psiquiátrica Burgholzli, em Zurique, então dirigida pelo psiquiatra Eugen Bleuler, famoso pela sua concepção de esquizofrenia. Seguindo o seu treino prático na clínica, ele conduziu estudos com a associação de palavras. Já nessa época Jung propunha uma atitude humanista frente aos pacientes. O médico deveria "propor perguntas que digam respeito ao homem em sua totalidade e não limitar-se apenas aos sintomas". Desde cedo ele já adiantava a idéia do que hoje está ganhando força em todos os campos com o nome de "Holismo", o ponto de vista do homem integral. Por isso evitava generalizar um método, uma panacéia para um determinado tipo de anomalia psíquica. Cada encontro é único e, sendo assim, não pode incorrer em qualquer tipo de padronização. Em 1902, deslocou-se a Paris onde estudou com Pierre Janet, regressando no ano seguinte ao hospital de Burgholzli onde assumiu um cargo de chefia e onde, em 1904, montou um laboratório experimental em que programou o seu célebre teste de associação de palavras para o diagnóstico psiquiátrico. Neste ínterim, Jung entra em contato com as obras de Sigmund Freud (1856-1939).

Leia mais sobre a influência de Sigmund Freud sobre Jung no artigo "Psicologia Analítica - Jung x Freud"

Site Login